EmCantos
Um olhar...e um profundo oceano de sentimentos
Capa Meu Diário Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato
Textos
Lamentos de um Músico
Que podes saber, poeta,
das músicas que eu escrevo?
Se teu branco papel apenas te é escrito
com frases do pensamento,
criadas e programadas com rimas e simetrias?
Se podes modificá-las quando, assim, o desejares,
usando goma e tinteiro,
imaginando que sentes a dor que deveras tens,
criando-te os personagens das histórias absurdas
que pela noite adentro te são razão de embriaguez.
Que podes saber, poeta,
destas músicas auriculares que brotam
de sentimentos profundos e enlouquecidos?
De tudo o que almeja e sonha meu coração machucado
pelo desamor e o tempo?
Se cada nota é tão só o que me sobra no peito,
que não consigo entregar.
Como podes comparar tuas palavras com rimas,
que às vezes desaprovas jogando-as no papel,
com as notas do meu canto cujas palavras ausentes
dizem em notas dolentes o mal do qual eu padeço?
Meu canto, por mais que o jogue, embolado, pela rua,
segue sua serenata, todas as noites e os dias,
tocando dentro de mim.
Tuas palavras escritas, que ao teu tinteiro ditas,
esqueces delas por dias, podes mudar teu querer,
mas estas notas que ensurdecem
e constantes me enlouquecem,
não posso modificá-las,
delas não posso esquecer.

Gabriela Faval
Parauapebas/07.03.99 - Parauapebas
Gaby Faval
Enviado por Gaby Faval em 15/07/2009
Alterado em 28/12/2013
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários